quinta-feira, 1 de outubro de 2009

"Amigo" na hora errada

Ultimamente, algumas mulheres disse que nosso blog era machista. Lógico que não somos. Aí vai uma história que um homem (moleque) se dá mal.

Afonso, estatura baixa, óculos fundo de garrafa, estava sem um dente da frente porque caiu de boca no chão. Solitário, era tido como chacota pelos seus amigos, que adoravam tirar sarro dele.
Era tarde e estava muito frio. Afonso saiu apressado de casa, tava atrasado para bater figurinhas com os amigos. A casa não era tão longe assim, de bicicleta até era relevante ir, mas além de frio, chovia muito.
Afonso colocou três blusas de frio pegou seu enorme guarda-chuva e saiu de casa apressado para ir ao ponto de ônibus.
Ele passou por uma moça que estava em uma farmácia, que reclamava no celular que não conseguia sair dali. Seu pai parecia não querer ir busca ela. Afonso num ímputo corajoso, ele voltou e ofereceu um lugar ao seu lado para a moça, até o ponto de ônibus.
Essa moça chamava-se Rebeca. Bem mais alta que Afonso, ruiva, de olhos verdes e com sardinhas sexy no rosto. Nunca que aquela moça ia com Afonso até o ponto de ônibus. Mas Afonso, estava com sorte. Ela lhe agradeceu e o encostou em seu lado.
Rebeca estava com frio, e sem blusa. Afonso tira uma blusa dos Flinstones e oferece à Rebeca que fica lisonjeada.
Afonso que não era de falar muito menos sem um dente da frente.
Você é quieto né? - diz Rebeca.
Não sou muito de falar, e ainda estou sem um dente da frente, ia me achar mais feio do que já sou. - diz sem jeito Afonso.
Ah, que isso, deixa eu ver? - diz Rebeca.
Afonso mostra a feiura de sua boca, mas para a sua surpresa:
Que fofinho, se ganhar um beijo nasce um dente? - pergunta na cara de pau Rebeca.
Afonso fica sem jeito, faz um positivo com a cabeça. Ele começa a pensar se aquilo era verdade mesmo, e começou a falar. Começou a contar piadas, quantas vezes fechou o jogo do Mario Bros. Quantos vezes perdeu pipas para os rapazes mais velho. Mas Rebeca ria de tudo.
Chegado ao ponto de ônibus Rebeca pedi o endereço e o telefone de Afonso. Primeiro ele gaguejou e depois ela pediu para ele ter calma. Nessa hora que chega Augusto Guilherme.
Augusto Guilherme era o bonitão da escola, e o carinha que mais zuava Afonso. Infelizmente as suas perguntas nessa hora não eram para zuar Afonso, e sim eram verdadeiras.
Augusto Guilherme perguntou se Afonso tinha chulés constantes, mesmo com muito talco o pé de Afonso fedia. Rebeca relevou, alías quem não tem chulé né?
Segunda pergunta era se Afonso ainda estava com furunco. Rebeca desgrudou do braço de Afonso imediatamente. A terceira era a pior, se Afonso tinha ainda tinha a mania de usar a mesma cueca por uma semana.
Rebeca viu o primeiro ônibus que estava vindo e perguntou se era esse que ele ia pegar. Ele respondeu que não, e mesmo não sendo seu ônibus, ela entrou rapidamente. Afonso começou a gritar o endereço e o número de sua casa, mas Rebeca fingia não ouvir.
Augusto Guilherme perguntou se não tinha estragado nada. O coitado do Afonso disse que não.
Curiosamente algumas semanas depois, Afonso lembrava mais da sua blusa dos Flinstones do que da bela Rebeca.

4 comentários:

Patrícia disse...

Hahahahahahaa..... toda Rebeca que eu conheço é bem chatinha e exigente mesmo!!!! O que nesse caso era bem compreensível... (mas não dava pra tu ter usado outro nome não??? tinha que ser o da minha sobrinha mesmo???) Hehehehehee....

Tiago F. Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tiago F. Silva disse...

Loser!!!

Paulo Dionísio disse...

Patrícia, que saudades de você amiga. Toda rebeca que conhece é assim é?
Ps: Esqueci o nome da sua sobrinha hahahaha, me perdoe.