terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Já te dei bala moleque

Natal é uma época de paz, amor, diversão e harmonia. Esse causo que irei contar não tem nada a ver com mulheres e sim com o nosso querido velhinho Papai Noel. Já que estamos perto do Natal nada mais justo né.
Ser o bom velhinho não é fácil. Crianças no seu colo o dia todo, fazendo você jurar para elas que irão ganhar tal presente no Natal. Realmente aguentar criança não é fácil. Pior ainda aguentar alguns mais crescidinhos.

Pietro e Ronaldo tinham 15 anos. Amigos inseparáveis faziam praticamente tudo. E fim de ano, como o centro da cidade costuma ficar aberto até mais tarde, resolveram dar uma volta.
Clima natalino, árvores enfeitadas, lojas cheias, e, Papai Noel à beça.
Não eram crianças mas gostavam de farrear. Papai Noel à vista. Pietro não pensa duas vezes.
- Me dá uma bala Papai Noel- olhos brilhando.
E ele ganha suas balas.
Contente, poucos minutos depois ele vê denovo o mesmo Papai Noel.
- Papai Noel, quero mais balas.
Paciente, o bom "velhinho" dá algumas balas novamente.
Passado algumas horas, Pietro vê novamente, o mesmo Papai Noel vindo em sua direção.
Contente, começa a cantar:
- Deixei meu sapatinho...
- Já te dei bala moleque!
Pietro fica sem reação, para Ronaldo basta apenas rir.

Feliz Natal para todos! Azarem, vão atrás de mulheres, bebam, e deixem o Papai Noel em paz!

Uma musiquinha para entrar no clima.


video

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Perólas (gafes)

Tava olhando o blog da nossa querida seguidora Mari Sayuri, e vi uns posts sobre pérolas e achei muito bom! Quem aqui não soltou uma gafe ou uma pérola na vida né. Vou contar um causo legal para vocês.

Dionísio e Paulo estavam à toa no centro. Passeando olhando as lojas e algumas moças que passavam. Eis que eles encontram uma velha amiga de escola que fazia algum tempo que não conversavam. Sabem como é né, quando faz tempos que não vemos alguém resolvemos perguntar de tudo da vida da pessoa. Namora, esta trabalhando aonde, mudou-se para aonde, aonde anda tal fulana e etc.
Sabemos também que o físico da pessoa costuma mudar com o passar do tempo. Paulo havia percebido que essa tal amiga havia engordado um pouco, quando Dionísio pergunta:
-Você está grávida?- perguntando com convicção.
- Não, eu engordei mesmo- responde a amiga, normalmente.
Paulo quase riu, achando que foi uma brincadeira.
Horas depois ele pergunta:
- Mancada perguntar se ela engravidou, era melhor ter ficado quieto, e daí que ela engordou.
- Mas não fiz de propósito, achei que ela tinha engravidado mesmo- responde Dionísio com ar sério.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

O Bundófilo




Muitas pessoas tem "aquele" amigo meio "dãr", não muito dotado de inteligência ou que não possuem a noção exata para usá-la.


Uma roda de amigos {todos maiores de idade} reunidos estão na calçada jogando conversa fora, quando passa pela rua uma menina, por volta de seus 14 anos e de corpo bem atraente, e então um dos amigos, o próprio AMIGO meio {muito} sem noção, que aqui chamaremos de Amarelo, manda:

-Nossa, que bunda gostosa!

Os demais amigos então emendam:

-Larga a mão de ser pedófilo, Amarelo.

Amarelo, todo orgulhoso de sua inteligência e sabedoria não deixa os amigos sem uma resposta adequada e então fala com convicção:

-Pedófilo por que? eu olhei pra bunda dela e não pro pé, vocês parecem bestas.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Ops! Essa não

Chegando o fim de ano, sempre rola causos legais dessa época do ano.

Véspera de Natal. Plínio foi na casa de seus parentes em outra cidade. Cumprimentou os parentes, que o levaram pra uma festa.
Chegando na festa, um ambiente contagiante de festa, Plínio depois de uns goles de cerveja começa a ver o ambiente, para "conhecer" bem a cidade.
Ele vê uma moça, sozinha, um pouco mais velha, mas sem se importar, vai conversar com ela.
Conversa vai, conversa vem, e ele toma um fora.
Resolveu andar,e um tempo depois ele vê uma roda onde estavam todos seus parentes. Tios, tias, primos, primas, e.... a moça que ele deu em cima.
Começou a passar um monte de coisas na cabeça dele. Será que ela foi reclamar dele para eles? Percebeu que todos estavam quietos e pergunta para um primo, quem era aquela moça na roda.
- Aquela é a irmã da nossa tia, ela mora em outra cidade, você não conhece ela! - disse o primo.

Plínio pegou trauma naquele dia, não quis "conhecer" mais ninguém da cidade neste dia.
Ficou amigo da tia, mas se sentiu totalmente desconfortável em tocar no assunto.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Hã? O quê?

Algumas pessoas costumam falar baixo. Eu particularmente falo baixo às vezes. E também um pouco enrolado, mas as pessoas conseguem entender uns 70% do que estou falando. Mas há alguns casos que, dificilmente você entende o que a pessoa fala, o famoso grunhido.

Felipe Alfredo estava de olhos fixos em seu caderno, estudando, e tinha três moças linda à sua frente. Só que naquele momento os estudos eram importante, pois iria haver uma prova em poucos minutos e, ele nao sabia praticamente nada da prova.
Chega um amigo de Felipe Alfredo, Luzu, e fica conversando com as moças, olhando para Felipe Alfredo e dando risadas. Ele sabia que o assunto era ele, achava que as moças estavam falando bem dele. Para não ficar muito convencido ele continuou com os olhares fixos no caderno.

Terminado a prova hora de ir embora e pegar o ônibus. Eis que chega o tal amigo Luzu, que estava conversando com as moças. Luzu senta ao lado de Felipe Alfredo e diz:
- Shususuh as moças.
Felipe incrédulo, sem entender nada, pede para Luzu repetir.
- Shuhuhu.
Não entendendo novamente, pede denovo para ele repetir.
- Shuhuhshu.
Pede novamente.
- Shushushu.
Ele já tinha pedido três vezes e não tinha entendido nada, curioso pediu mais uma vez.
- Shushushu.
Bom, pedir três vezes é normal, mas quatro? Felipe Alfredo cansou de tentar entender o que Luzu falava e, pensou numa resposta coerente, como não sabia do que se tratava, nem afirmou nada, como também não deu uma resposta negativa.
- Hã, mais ou menos- disse Felipe Alfredo.
Luzu começou a rir e enfim solta uma frase que Felipe Alfredo entende.
- Você é fod...

Essa história ocorreu há um bom tempo e até hoje Felipe Alfredo não sabe o que Luzu perguntou a ele. E nem tentou descobrir depois.