segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Dúvida

Dizem as más línguas, que homem que trai o pipi cai.
E se a mulher trair, o que acontece?

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Irmã gêmea

Wagner era um rapaz de boa pinta. Mas tinha fama de galinha. Dizem a lenda, que se colocar uma saia em uma mulher ele sai pegando.
Certo dia, Wagner conheceu Manoela, e se apaixonou. Manoela sabendo da fama de Wagner não lhe deu atenção. Wagner insistiu a noite inteira, dizendo que por ela, ele mudava. Manoela cedeu e marcou um encontro com Wagner no dia seguinte. Na mesma noite eles ficaram.
No dia seguinte, Wagner estava ansioso para encontrar Manoela. Parecia que ele estava disposto mesmo a ter algo sério com Manoela, parecia que enfim ele estava se apaixonando.
Wagner viu Manoela de longe, e não resistiu, chegou por trás da moça, agarrou ela, virou-a de frente para ele e a beijou.
A moça lhe dá um tapa. Sem entender Wagner pergunta o que estava acontecendo. Manoela aparece atrás de Wagner, cutuca ele e lhe diz que ele não pede tempo mesmo. Manoela tinha uma irmã gêmea, Luiza. Wagner jura que não sabia que Manoela tinha uma irmã gêmea. Ela lhe dá um tapa e sai andando. Para terminar: Galinha sempre galinha.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

=)

Esse clipe é legal!


video

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

E se a M.... não descer?

Essa situação já deve ter ocorrido com muita gente, não somente homens, mulheres também. Afinal todo mundo caga e peida (com o perdão do palavriado, que aliás deverá se repetir nesse post, então caso não goste é recomendável que pare a leitura nesse ponto.
Voltando ao assunto, todo mundo já deve ter passado por situações complicada, constrangedoras e/ou engraçadas quando deparadas com suas necessidades sólidas e gasosas (bosta e peido{cocozinho e punzinho})na presença ou na casa de outras pessoas ou em outros estabelecimentos.
Eu sei, EU SEEEEI... esse post deve estar bem nojento, mas acontece com todo mundo, acredito.
Mas falemos dos casos em que envolvam casais de namorados. Em muitos relacionamentos o fato de um simples peidinho para aliviar ocorrer na presença da outra parte interessada (namorado ou namorada) pode parecer a treva, o apocalipse, o fim da relação. Conheço pessoas que acabam desenvolvendo uma prisão de frente monstro, capaz de reter mais gazes que o governo da Bolivia.
Eu sei que é uma questão de educação e respeito evitar fazer esse tipo de coisa perto de outras pessoas, mas é preciso aceitar que as vezes é um caso de vida ou morte, e que precisa ser feito naquela hora e naquele lugar. Ex. Serra,volta de feriado de fim de ano, trânsito infernal, chuva, vontade de peidar a pelo menos 15km atrás, não dá pra abrir a porta e sair pra peidar "escondido", não é mesmo?
Todo mundo peida e é melhor um conhecer o peido do outro, pois no futuro pode ser tarde demais pra se arrepender.
Outro fator que também causa grandes constrangimentos é o fato de ter que cagar na casa dos outros. Além do fato de sempre ser melhor fazer no nosso troninho pelo conforto e privacidade, fazer a necessidades na casa dos outros acarreta em uma outra preocupação: e se a merda não descer?
Hoje em dia existem descargas do tipo "hidra", na qual é possível várias descargas até que o elemento defecado seja levado por completo, mas ainda assim existem casas que utilizam sistemas de descarga de caixa d'água e "cordinha", que após a primeira descarga é preciso esperar a caixa encher de água novamente para a próxima descarga ser efetuada, o que leva um certo tempo para acontecer.
Agora imaginem a situação:
Kléberson vai passar uns dias na casa dos pais da namorada. A ocasião serve para conhecer a familia da garota e também para passar o natal com a familia dela. Ele, um rapaz educado, se encontra na dificil situação de ter que cagar na casa da namorada, o que vai ter que acontecer de qualquer maneira, afinal uma semana na casa dela, uma hora vai ter que sair.
Ele enfrenta o dificil dilema, como fazer? o medo toma conta dele. Medo de fazer e então poluir todo o ambiente com seu cheiro ou então, fazer e NÃO descer. Milhões de cenas passam por sua cabeça. Ele começa a ter alucinações do sogro dizendo: "Além de comer minha filha, ainda embosteia todo meu banheiro, eu te mato!".
Fazer quando não tiver ninguém na casa seria uma alternativa, mas isso é praticamente impossível, fazer de madrugada tem o problema do barulho que a noite se torna muito mais sonoro. Ele decide acordar antes de todo mundo e então esvaziar-se. Seis da matina, ele levanta, se dirige até o banheiro e...
-"Bom dia Klébersson, acordou cedo hoje, dormiu bem, precisa de alguma coisa? - indaga a sogra
- EU PRECISO CAGAAAAR!
Fica então a dúvida, quanto a educação é mais importante que as necessidades do corpo humano? Uma compreensão maior não faria com que as pessoas vivessem mais felizes e não se torturassem tanto em segurar um peidinho despretencioso ou um cocozinho aliviante?

--Qualquer relação com a realidade é mera coincidência--

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Mas essas p.... são feias heim!

Eliomar e seus amigos estavam pescando praticamente um mês. Só que pescaria não era o forte deles. Eles não levavam nada para a casa.
Até que um dia um dos amigos de Eliomar deu uma ideia. Levar umas "amigas" da vida. Caso não pescar nada, ele tem o que "comer depois".
Passado mais um mês, a esposa de Eliomar começou a estranhar que ele ia sempre pescar e não trazia nada. A desculpa que eles "comiam" lá não colava mais. Ela resolveu ir com ele.
Sem contradições, Eliomar pediu para que seus amigos chamassem suas esposas para irem na pescaria.
Chegado o dia, Eliomar, seus amigos e suas queridas esposas chegaram ao pesqueiro. Na entrada, o dono do pesqueiro diz: Essas p.... que trouxeram hoje são feias heim!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Semanas, meses...anos

No bar, dois amigos conversam:
-Pra você, sexo é semanal, mensal ou anual?
-Anual, sem dúvidas!
-O Loco! por que? tá tão ruim as coisas assim?
-Não, é que eu sou doido por um cuzinho.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

"Amigo" na hora errada

Ultimamente, algumas mulheres disse que nosso blog era machista. Lógico que não somos. Aí vai uma história que um homem (moleque) se dá mal.

Afonso, estatura baixa, óculos fundo de garrafa, estava sem um dente da frente porque caiu de boca no chão. Solitário, era tido como chacota pelos seus amigos, que adoravam tirar sarro dele.
Era tarde e estava muito frio. Afonso saiu apressado de casa, tava atrasado para bater figurinhas com os amigos. A casa não era tão longe assim, de bicicleta até era relevante ir, mas além de frio, chovia muito.
Afonso colocou três blusas de frio pegou seu enorme guarda-chuva e saiu de casa apressado para ir ao ponto de ônibus.
Ele passou por uma moça que estava em uma farmácia, que reclamava no celular que não conseguia sair dali. Seu pai parecia não querer ir busca ela. Afonso num ímputo corajoso, ele voltou e ofereceu um lugar ao seu lado para a moça, até o ponto de ônibus.
Essa moça chamava-se Rebeca. Bem mais alta que Afonso, ruiva, de olhos verdes e com sardinhas sexy no rosto. Nunca que aquela moça ia com Afonso até o ponto de ônibus. Mas Afonso, estava com sorte. Ela lhe agradeceu e o encostou em seu lado.
Rebeca estava com frio, e sem blusa. Afonso tira uma blusa dos Flinstones e oferece à Rebeca que fica lisonjeada.
Afonso que não era de falar muito menos sem um dente da frente.
Você é quieto né? - diz Rebeca.
Não sou muito de falar, e ainda estou sem um dente da frente, ia me achar mais feio do que já sou. - diz sem jeito Afonso.
Ah, que isso, deixa eu ver? - diz Rebeca.
Afonso mostra a feiura de sua boca, mas para a sua surpresa:
Que fofinho, se ganhar um beijo nasce um dente? - pergunta na cara de pau Rebeca.
Afonso fica sem jeito, faz um positivo com a cabeça. Ele começa a pensar se aquilo era verdade mesmo, e começou a falar. Começou a contar piadas, quantas vezes fechou o jogo do Mario Bros. Quantos vezes perdeu pipas para os rapazes mais velho. Mas Rebeca ria de tudo.
Chegado ao ponto de ônibus Rebeca pedi o endereço e o telefone de Afonso. Primeiro ele gaguejou e depois ela pediu para ele ter calma. Nessa hora que chega Augusto Guilherme.
Augusto Guilherme era o bonitão da escola, e o carinha que mais zuava Afonso. Infelizmente as suas perguntas nessa hora não eram para zuar Afonso, e sim eram verdadeiras.
Augusto Guilherme perguntou se Afonso tinha chulés constantes, mesmo com muito talco o pé de Afonso fedia. Rebeca relevou, alías quem não tem chulé né?
Segunda pergunta era se Afonso ainda estava com furunco. Rebeca desgrudou do braço de Afonso imediatamente. A terceira era a pior, se Afonso tinha ainda tinha a mania de usar a mesma cueca por uma semana.
Rebeca viu o primeiro ônibus que estava vindo e perguntou se era esse que ele ia pegar. Ele respondeu que não, e mesmo não sendo seu ônibus, ela entrou rapidamente. Afonso começou a gritar o endereço e o número de sua casa, mas Rebeca fingia não ouvir.
Augusto Guilherme perguntou se não tinha estragado nada. O coitado do Afonso disse que não.
Curiosamente algumas semanas depois, Afonso lembrava mais da sua blusa dos Flinstones do que da bela Rebeca.