quinta-feira, 15 de julho de 2010

Nossa!

Festa Junina é uma maravilha. Cachorro quente, quentão, vinho quente, pipoca, doces.
Bombinha daqui. Bombinha no pé do outro dalí.
Como diriam por aqui: Uma festança que não tem tamanho.

Joaquim estava sentado, numa roda de dança. Chamou para dançar uma aqui, outra acolá. Praticamente era um dançarino nato.
Cansado ele senta-se e repara em um casal se beijando. Com os dois meninos na frente.
Conclusão:
Um belo casal se beijando, com seus dois filhos na frente, vendo todos dançarem.
Praticamente uma cena que valeria pintar, ou tirar uma foto.
Praticamente...

Ela o abraça, e rapidamente o empurra.
Ué, pareciam tão unidos pelo amor.
Eis que sobe um homem e abraça ela. Com uma cara de mau, parecia um imperador olhando para a sua tropa.

Eis que Joaquim percebeu tudo.
Ela era negra, o homem que chegou também, os filhos lógico que eram, o cara que ela empurrou era branco.

É gente, há pessoa que gostam de perigo. E não há vergonha na cara.

2 comentários:

Déborah Simões disse...

KKKKKKKKKKKKKKKK
Menino, de onde tu tira essas histórias??!! Tu é muito criativo.. Adorei...
bjok

O Jardim disse...

Muito criativo! Quase um conto (: eu diria que é um ensaio.

Espero sua visita em meus blogs!

http://jardim-das-hesperides.blogspot.com

e

http://pinguimrosa.blogspot.com